Você já foi torturado hoje?

Você já foi torturado hoje?

Olá! Isso era pra ser um post no Facebook às 05:00 da manhã de um sábado e acabou virando para oo Blog…

Recebi um e-mail de uma empresa de boa reputação boa no mercado e que gosto do serviço que presta, cujo texto era sobre sinais de alguém que nasceu para empreender, e não ser um funcionário.

O trecho que mais me chamou a atenção foi logo o do inicio: “Acordar na segunda-feira já contando os dias para o fim de semana. Sentir que as horas passam e nada de relevante foi produzido. Ter de ser político o tempo todo.Algo soa familiar? Essas são algumas reclamações comuns de quem está insatisfeito com sua situação de empregado e procura uma nova forma de tocar sua carreira: tornar-se o próprio chefe.”

– Fomos “treinados” para chamar o nosso emprego/tarefa de TRABALHO, que originalmente vem de Tripálio.( Segundo Wikipedia, do latim tardio “tri” (três) e “palus” (pau) -“três paus”, é um instrumento romano de tortura, uma espécie de tripé formado por três estacas cravadas no chão na forma de uma pirâmide, no qual eram supliciados os escravos. Daí derivou-se o verbo do latim vulgar tripaliare (ou trepaliare), que significava, inicialmente, torturar alguém no tripálio. Se voce reparar bem, o sentido original o “trabalhador” seria um carrasco, e não a “vítima”, como hoje em dia nos consideramos.

– Quando estamos saindo para trabalhar, é comum nossos parentes e amigos que encontramos pela rua falarem assim: Tá indo pra LUTA? Ta indo pra GUERRA? Confesso que assim como muitos, eu ria e falava que sim, mas graças a um treinamento que recebi de uma amiga em 2006(Obrigado Wania Rigo), eu removi estes termos do meu vocabulário.

Analisando o trecho do e-mail que recebi e os dois pontos que enumerei acima, creio que não estamos falando de um empreendedor, e sim de um funcionário que está desmotivado ou não gosta de trabalhar. É nítido o SOFRIMENTO dele, e não o sangue empreendedor. Você acha que um empreendedor tem REALMENTE este sentimento no trabalho?

Com base em pesquisa na vida de desconhecidos em revistas e na internet; relatos de amigos e até mesmo o meu parecer, um empreendedor estaria se desdobrando para experimentar nas horas vagas para tentar empreender, e daí ver se ele sabe ou quer ser 100% do tempo empreendedor(não confunda empreender com ganhar dinheiro extra!!!). Um empreendedor não odeia segundas-feiras, pois é o início de mais 5 dias para fazer negócios, e muitos deles amam sextas e os finais de semana, pois no ramo de entretenimento é o dia de ver a casa cheia.

Então, caro e estimado leitor, minhas dicas para mudar seu mindset:

– Você sabia que dá pra empreender no trabalho? E não estou falando de levar produtos e vender lá! Me refiro a você empreender como se fosse um sócio. Envie um e-mail para mim, em falecom@rafaelbruno.com.br, lhe darei algumas dicas!

– Não troque o certo pelo duvidoso sem antes saber se você tem perfil de empreendedor ou se apenas acha que é um pois não se encaixa no padrão “9 as 18”;

– Analise se você está feliz em seu emprego, o momento econômico do país pode estar difícil, mas sua saúde e felicidade são importantes. A regra do “ame o que você faz ao invés de faça o que gosta” pode ser usado para lhe dar forças;

– Existem muitas empresas precisando de talentos por aí, veja se você pode contribuir com essas empresas

E, para fechar, a mais importante dica que darei hoje: Muitas das frutas que comemos tiveram seus “pés” plantados antes mesmo de nascermos. Alguém com pensamento aberto teve essa sacada de plantar para que uma geração futura possa comer. Faça o mesmo! Inicie o seu negócio agora, mesmo com a crise, pois quando ela passar, você já estará com sua árvore(empresa) dando frutos, não vai precisar sair correndo e montar algo de qualquer jeito. Pesquise, procure profissionais de negócios, leia livros, vá ao Sebrae. Não seja um(a) frustrado(a) que jamais tentou por estar com medo!

Um abraço e feliz QUALQUER DIA DA SEMANA!

Deixe uma resposta